Podcasts de história

Schofield DEG-3 - História

Schofield DEG-3 - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Schofield
(DEG-3: dp. 3.426 (f.); 1. 414'6 ", b. 44'1", dr. 24 ', s.
27 k .; cpl. 248; uma. 1 5 ", Tar., ASROC, 2 ASW tt .;
cl. Brooke)

Schofield (DEG-3) foi estabelecido em 15 de abril de 1963 pela Lockheed Shipbuilding and Construction Co. Seattle, Wash .; lançado em 7 de dezembro de 1963, patrocinado pela Sra. F. Perry Schofield; e comissionado em 11 de maio de 1968, Comdr. Earl H. Graffan no comando.

Após o shakedown, Schofield conduziu exercícios de treinamento, tanto de forma independente quanto com seu esquadrão Destroyer Squadron 23, fora de seu porto natal em Long Beach. Com o ano novo, 1969, ela participou dos exercícios da 1ª Frota; e, no final de março, ela cruzou o Pacífico para sua primeira implantação WestPac.

Em 24 de abril, o navio de escolta de mísseis guiados juntou-se à 7ª Frota. Em 7 de maio, ela iniciou as operações com Bon Homme Richard (CVA-31) no Golfo de Tonkin. Uma semana depois, ela foi colocada em Subic Bay, então, após a manutenção, ela se juntou a outras unidades da 7ª Frota na Operação "Sea Spirit", um exercício SEATO combinado encerrado em 3 de junho pela colisão do USS Frank E. Evans (DD-754) e HMAS Melbourne.

Em 17 de junho, o DEG voltou para o Golfo de Tonkin, permanecendo em julho. No dia 6, ela deixou a área e rumou para o Japão, onde participou de um exercício conjunto da Marinha dos Estados Unidos e da Força de Autodefesa Marítima do Japão; então, no final do mês, ela novamente traçou um curso para o Mar da China Meridional '

Schofield voltou ao Golfo de Tonkin no dia 27 e, nas duas semanas seguintes, operou com Kearsarge (CVS-33). Seguiu-se uma visita a Hong Kong. Em 22 de agosto, ela voltou para Subic Bay e, no início de setembro, mudou-se para o norte para patrulhar o Estreito de Taiwan. Na noite do dia 8, ela partiu em auxílio de Warbler (MSC-206), pego em mares agitados a 70 milhas de distância e incapaz de transferir combustível para seu motor. No momento em que o DEG chegou, o minecraft estava morto na água. Ao amanhecer, no entanto, Schofield puxou o MSC e se dirigiu a Kaohsiung, de onde voltou ao serviço de patrulha.

Três dias depois, Schofield continuou para o norte, para o Japão; participou de exercícios HUK; depois partiu para Hong Kong, onde, por duas semanas, serviu como navio-estação. Em 23 de outubro, ela voltou ao Japão; e, em 6 de novembro, ela voltou para casa.

Chegando no dia 21, o DEG permaneceu no porto durante a maior parte do resto do ano. Em janeiro de 1970, ela retomou seus exercícios de guerra anti-submarino na costa da Califórnia. No início da manhã do dia 9, os exercícios com seu esquadrão e Hornet (CVS-12) foram interrompidos para ajudar um navio-tanque mercante, SS Connecticut, relatado estar afundando a aproximadamente 200 milhas de distância. No caminho para o local, Schofield reabasteceu os helicópteros Hornet que entregaram equipes de resgate e equipamentos ao tanque. Dois dos homens de Schofield, EMCS P. L. Kidd e BTI A. E. Personette, foram transferidos para o navio-tanque. O capitão do petroleiro elogiou o trabalho de salvar o navio.

Quando Schofield entrou em cena no final da tarde, a situação estava sob controle. Naquela noite, os exercícios foram reiniciados. No meio do mês, Schofield voltou a Long Beach e entrou no estaleiro naval por um período de estaleiro que a levou até março. Seguiram-se exercícios de esquadrão, dever de navio alvo, exercícios de disparo de mísseis e um cruzeiro de treinamento de reservistas. Em julho, ela voltou ao estaleiro para reformar a caldeira; e, em outubro, retomou o cronograma de operação da 1ª Frota.

Em 7 de janeiro de 1971, Schofield rumou para o oeste. Em fevereiro, ela conduziu exercícios em águas havaianas, depois voltou à costa oeste para a Operação "Mistura", um exercício conjunto Estados Unidos-Canadá. Durante o exercício, o DEG acrescentou as funções da nave-mãe para o hidrofólio experimental Highpoint (PGH-1) ao reabastecimento em vôo do helicóptero, guarda de avião e responsabilidades de escolta.

O exercício foi concluído em 4 de março. Schofield então voltou brevemente a Long Beach; e, no dia 11, ela partiu da costa da Califórnia para o oeste do Pacífico. Acompanhando o ASW Grupo 3, ela se juntou à 7ª Frota no dia 26. Em 3 e 4 de abril, ela operou ao largo da costa vietnamita; e, no dia 7, ela chegou a Subic Bay.

Cinco dias depois, o grupo partiu para Cingapura, de onde seguiram para o Oceano Índico para exercícios ASW. No final do mês, os navios partiram para Hong Kong; e, no dia 11, partiram para o Japão.

Após os reparos em Yokosuka, Schofield participou do primeiro grande exercício de força-tarefa dos Estados Unidos no Mar do Japão em vários anos, depois, em 17 de junho, voltou para casa. Seguindo para o norte, ela participou de exercícios ASW entre Attu e Kamchatka. Em 5 de julho, ela chegou a Long Beach. Em agosto, ela começou os preparativos para sua primeira grande reforma. Em 1o de setembro, ela mudou seu porto de origem para San Diego e, em 8 de setembro, ela entrou no estaleiro Long Beach Naomi para uma reforma extensa que a levou até 1972.

A reforma foi concluída em 6 de junho de 1972 e Schofield navegou para seu novo porto de origem, San Diego. Os próximos três meses foram gastos em treinamento de atualização e vários exercícios, incluindo dois lançamentos bem-sucedidos de seus mísseis TARTAR no Pacific Missile Range.

Em 9 de setembro, Schofield partiu de San Diego para sua terceira turnê com a 7ª Frota. Após breves paradas em Pearl Harbor Midway Island, Guam e Subic Bay P.I., o DEG juntou-se à TU 77.0.1 no Golfo de Tonkin em 8 de outubro. Ela recebeu sua primeira missão de bombardeio da implantação 20 dias depois e atirou a noite toda. Em 30 de outubro, ela partiu da área para Kaohsiung e um período de manutenção. Ela estava de volta à estação no Golfo de Tonkin de 9 de novembro a 8 de dezembro para outro período de linha. O DEG então visitou Hong Kong e Sasebo antes de retornar à linha de fogo no Dia de Ano Novo de 1973.

Schofield atuou como piquete até meados de janeiro, quando foi designada para fornecer apoio de fogo. Ela disparou missões diárias até o dia 26, quando partiu para Subic Bay. Ela retornou à estação Yankee em 13 de fevereiro e soube que, devido ao fim das hostilidades, seu desdobramento do WestPac seria reduzido em um mês. Em 15 de fevereiro, ela partiu para Yokosuka e San Diego, chegando ao seu porto de origem em 9 de março.

Durante um período de disponibilidade restrita entre abril e setembro, Schofield recebeu extensas instalações de helicópteros para permitir que ela operasse o herói SH-2 LAMPS (Light Airborne Multi-Purpose System). Ela realizou testes de mar em outubro, exercícios de tiro no início de novembro; e, no dia 23, ela estava a caminho do oeste do Pacífico.

Schofield participou de exercícios em Pearl Harbor e na Ilha Midway antes de entrar em Subic Bay em 18 de dezembro. Quatro dias depois, ela partiu para Cingapura com ordens de continuar de lá para o Oceano Índico e conduzir operações de vigilância. Ela voltou a San Diego em 6 de junho de 1974 e está operando nesse porto em julho de 1974.

Schofield recebeu quatro estrelas de batalha por servir no Vietnã.


USS Schofield (FFG-3)

USS Schofield (FFG-3) era um Brooke- fragata de classe depositada em 15 de abril de 1963 pela Lockheed Shipbuilding and Construction Co., Seattle, Washington e lançada em 7 de dezembro de 1963. O navio foi patrocinado pela Sra. F. Perry Schofield e comissionado em 11 de maio de 1968, Comdr. Earl H. Graffam no comando. O navio foi batizado em homenagem ao almirante da marinha americana Frank Herman Schofield. O primeiro-tenente original era o tenente-tenente Lee Witham. Schofield recebeu quatro estrelas de batalha pelo serviço prestado no Vietnã.


Depois de 1991

Ela foi vendida em 20 de junho de 1994 e convertida em uma barcaça de força.

NVR mostra o contrato encerrado em 22 de março de 1999 (para ser revendido).

(O seguinte foi retirado na íntegra da & # 8220Fleet Reserve Association & # 8217s Naval Affairs Page.)

De destruidor de mísseis a usina comercial e # 8211 por Kit Bonner

Em meados de abril de 1995, recebi relutantemente permissão de vários governos e autoridades privadas para visitar o ex-transportador da Classe Essex USS Hornet (CV-12 / CVA-12 / CVS-12). Ela estava atracada no agora quase deserto Hunter & # 8217s Point Naval Shipyard em São Francisco e é propriedade da Astoria Metals Corporation. Uma organização foi formada para mantê-la, mas seu destino era incerto. Pelo menos ela evitou a tocha dos disjuntores no verão passado. Ela estava em exibição temporária através da baía na Alameda Naval Air Station como parte das observâncias do Dia VJ até outubro de 1995, quando foi programado para ser novamente rebocado para Hunter & # 8217s Point para eliminação. O velho porta-aviões não era o único navio no estaleiro.

Enquanto procurava o Hornet, também encontrei cinco destróieres de mísseis guiados classe Charles F. Adams e duas escoltas de mísseis guiados classe Brooke calmamente aninhados ao lado dos cais paralelos ao estaleiro e à doca seca principal # 8217s. Além disso, havia uma variedade de antigos navios de apoio de trem da frota, e quando você considera o poder de fogo disponível presente, os navios agora abandonados representavam um grupo de batalha de porta-aviões confiável com capacidade anfíbia substancial. Como eles podem ter sido valiosos ao largo de Guadalcanal em agosto de 1942.

O transportador veterano provavelmente será rebocado para a Índia ou Taiwan para sucateamento, assim como os navios de apoio, mas a Consolidated Power and Minerals Corporation de San Francisco, que possui os navios do tipo destruidor, tem outra coisa em mente.

Esta corporação comprou um total de dezoito navios em um leilão recentemente, sete dos quais estavam no Hunter & # 8217s Point Yard. As escoltas de mísseis são Schofield (DEG-3) e Ramsey (DEG-2). Eles são da classe Brooke que deslocou 3426 toneladas / comprimento, 414 & # 8217 / viga, 44 & # 8217 / SHP, 35.000 / velocidade 27 nós. Eles são armados com um canhão de 5 polegadas / 38 cal / um lançador de mísseis de superfície para ar Tartar / ASROC e o sistema DASH (helicóptero robô) abortivo.

A classe Brooke era uma classe provisória de escolta de contratorpedeiro armada com as armas mais modernas disponíveis em meados da década de 1960. Na verdade, foram a base de teste para as fragatas rápidas da classe Oliver Hazard Perry, produzidas em grande número alguns anos depois. Enquanto eu caminhava pela doca em direção a eles com duas câmeras não cooperativas e uma filmadora, os DEGs pareciam quase novos de fábrica. Com a exceção de estarem desarmados e com a ponta do cano de cinco polegadas cortada, eles parecem que ainda podem estar operacionais, pelo menos à distância.

Os destróieres da classe Adams consistiam em Hoel (DDG-13), Torres (DDG-9), Henry B. Wilson (DDG-7), Robinson (DDG-12) e o primeiro da classe lançado em 1959, o Lynde McCormick (DDG-8). O navio-chefe desses destruidores de mísseis guiados construídos para esse fim era o homônimo da classe, o Charles F. Adams (DDG-2).

Esses navios foram os primeiros navios projetados e construídos como destruidores de mísseis guiados da quilha para cima. Experimentos no Gyatt (DD-712), um destróier da classe Gearing provaram o valor da montagem de um míssil guiado em navios do tipo destruidor para defesa aérea. Isso ocorreu durante aquele curto mas árido período tecnológico entre o disparo lento de todos os canhões de defesa aérea e a magia atual dos sistemas de mísseis guiados automatizados e o Vulcan Phalanx de 20 mm de armadura.

A classe Charles F. Adams forneceu à Marinha um sistema de defesa aérea de última geração que poderia responder a qualquer ameaça soviética na década de 1970 e mesmo depois. Além disso, eles eram plataformas de guerra anti-submarino confiáveis ​​e também podiam ser chamados para bombardeios de alvos em terra com seus canhões de cinco polegadas / 54 calibre altamente confiáveis. Esta classe de contratorpedeiros, a segunda construída após a Segunda Guerra Mundial (logo após a classe Forrest Sherman) deslocou 3.370 toneladas / 437 & # 8242, comprimento / 47 & # 8242, feixe / 70.000, SHP / velocidade 33 nós. Eles estavam armados com dois canhões de 5 polegadas / calibre 54 / ASROC / mísseis de superfície para ar Tartar. Eles não eram capazes de helicóptero ou DASH. Eles também foram um dos navios mais atraentes já projetados para a Marinha. Eles foram tão bem pensados, que Austrália e Alemanha também operaram versões modificadas desta classe.

De modo geral, esses navios eram magníficos e durariam até a década de 1990, mas todas as coisas chegaram ao fim. O advento dos destróieres da classe Spruance e agora do poderoso Arleigh Burke relegou a velha classe Adam & # 8217s para naftalina e agora o bloco de leilão. No início da década de 1990, a maioria havia sido desativada e desativada. Os cortes nas dotações militares selaram sua condenação e eles foram recentemente atingidos.

Nova vida para navios condenados

A maioria dos navios obsoletos comprados da Marinha ou de companhias marítimas comerciais são reduzidos para sucata, principalmente nos remansos de algum porto do Extremo Oriente. Ocasionalmente, um dos mais famosos será preservado como um memorial ou atração turística, mas no caso dos destróieres que encontrei em Hunter & # 8217s Point, nenhum dos destinos se aplica.

A Consolidated Power and Minerals Corporation, que comprou os navios da Marinha em leilão, reduz sistematicamente os contratorpedeiros removendo seus mastros, superestrutura e armamentos. O metal dessas fontes é descartado como sucata, restando um casco com um convés e dois funis. O casco e restante estrutura são colocados em doca seca, limpos e pintados. O sistema de engenharia do navio é verificado e todos os reparos necessários realizados, e o que surge é uma usina elétrica flutuante capaz de gerar até 60 megawatts.

Em essência, um ex-destróier foi convertido em uma fonte portátil de energia para cidades de tamanho moderado e é capaz de gerar eletricidade confiável por até 20 anos. A demanda é tão grande que a Consolidated está pensando em comprar alguns dos cruzadores das classes Leahy e Belknap agora instalados em Suisun Bay, Califórnia, para o mesmo propósito. Ironicamente, se isso acontecer, essa empresa inovadora será dona da terceira Marinha mais poderosa do mundo!

A Consolidated está fornecendo essas modernas usinas flutuantes para nações do terceiro mundo na América do Sul e no Extremo Oriente, onde fontes de energia confiáveis ​​e econômicas são necessárias. Se você considerar que os navios têm cerca de 35 anos atualmente, quando completarem seu serviço como fontes de energia, eles terão servido por mais de meio século.

Se por acaso você visitar uma cidade portuária em algum lugar e ver um navio de aparência familiar nos remansos, que consiste em um casco com dois funis, pode ter sido a lata ou o cruzador em que você serviu quando era jovem. Há vida após a morte para esses navios, pois eles continuam a fornecer serviços valiosos. Este é um final muito melhor do que se tornar parte de um carro estrangeiro ou um pacote de lâminas de barbear descartáveis.

Gerenciado e aprovado por Vince Cuthie, Diretor de Comunicações e Chuck Calkins, Secretário Executivo Nacional. Envie perguntas e comentários para a FRA em [email & # 160protected] ou ligue para (703) 683-1400.


Conteúdo

Pacífico

Após o shakedown, Schofield conduziu exercícios de treinamento, tanto de forma independente quanto com seu esquadrão, Destroyer Squadron 23, fora de seu porto de origem, D & ampS Piers 32nd St. San Diego. No ano novo, 1969, ela participou dos exercícios da 1st Fleet e, no final de março, cruzou o Pacífico para seu primeiro WestPac.

Em 24 de abril, o navio de escolta de mísseis guiados juntou-se à 7ª Frota. Em 7 de maio, ela iniciou as operações com a USS Bon Homme Richard no Golfo de Tonkin. Uma semana depois, ela foi colocada em Subic Bay e, após a manutenção, juntou-se a outras unidades da 7ª Frota em Operação Sea Spirit, um exercício combinado da SEATO encerrado em 3 de junho após a colisão do USS Frank E. Evans (DD-754) e HMAS Melbourne.

Em 17 de junho, o DEG voltou para o Golfo de Tonkin, permanecendo em julho. No dia 6, ela partiu da área e rumou para o Japão, onde participou de um exercício conjunto da Marinha dos Estados Unidos e da Força de Autodefesa Marítima do Japão. Em seguida, no final do mês, ela novamente traçou um curso para o Mar da China Meridional.

Schofield voltou ao Golfo de Tonkin no dia 27 e, nas duas semanas seguintes, operou com a USS Kearsarge. Seguiu-se uma visita a Hong Kong. Em 22 de agosto, ela voltou para Subic Bay e, no início de setembro, mudou-se para o norte para patrulhar o Estreito de Taiwan. Na noite do dia 8, ela navegou em ajuda da USS Warbler apanhada em mares agitados a 70 milhas náuticas (130 km) de distância e incapaz de transferir combustível para o motor. No momento em que o DEG chegou, o minecraft estava morto na água. Ao amanhecer, no entanto, Schofield levou o MSC a reboque e se dirigiu a Kaohsiung, de onde ela voltou ao serviço de patrulha.

Três dias depois, Schofield continuou para o norte até o Japão, participou de exercícios HUK e então navegou para Hong Kong, onde, por duas semanas, serviu como navio-estação. Em 23 de outubro, ela voltou ao Japão e, em 6 de novembro, voltou para casa.

SS Connecticut resgate

Chegando no dia 21, o DEG permaneceu no porto a maior parte do restante do ano. Em janeiro de 1970, ela retomou seus exercícios de guerra anti-submarino na costa da Califórnia. Na madrugada do dia 9, os exercícios com seu esquadrão e USS Hornet foram interrompidos para ajudar um navio mercante, SS Connecticut, relatado estar afundando a aproximadamente 200 milhas náuticas (370 km) de distância. A caminho da cena, Schofield reabastecido Hornet helicópteros entregando pessoal de resgate e equipamento ao petroleiro. Dois de Schofield's homens, EMCS P. L. Kidd e BT1 A. E. Personette, foram transferidos para o navio-tanque. O capitão do petroleiro elogiou o trabalho de salvar o navio.

Quando Schofield chegou ao local no final da tarde, a situação estava sob controle. Naquela noite, os exercícios foram reiniciados. No meio do mês, Schofield voltou a Long Beach e entrou no estaleiro naval por um período de estaleiro que a levou até março. Seguiram-se exercícios de esquadrão, deveres em navios-alvo, exercícios de disparo de mísseis e um cruzeiro de treinamento de reservistas. Em julho, ela entrou novamente no estaleiro para reforma da caldeira e, em outubro, retomou o cronograma de operação da 1ª Frota.

Em 7 de janeiro de 1971, Schofield indo para o oeste. Em fevereiro, ela conduziu exercícios em águas havaianas, depois voltou para a costa oeste para Mistura de operação, um exercício conjunto Estados Unidos-Canadá. Durante o exercício, o DEG acrescentou funções de nave-mãe para o hidrofólio experimental, USS Ponto alto, ao reabastecimento a bordo do helicóptero, guarda de avião e responsabilidades de escolta.

O exercício foi concluído em 4 de março. Schofield então retornou brevemente a Long Beach e, no dia 11, ela partiu da costa da Califórnia para o oeste do Pacífico. Acompanhando o ASW Grupo 3, ela se juntou à 7ª Frota no dia 26. Nos dias 3 e 4 de abril, ela operou ao largo da costa vietnamita e, no dia 7, chegou à Baía de Subic.

Cinco dias depois, o grupo partiu para Cingapura, de onde seguiram para o Oceano Índico para exercícios ASW. No final do mês, os navios partiram para Hong Kong e, no dia 11, partiram para o Japão.

Após os reparos em Yokosuka, Schofield participou do primeiro grande exercício de força-tarefa dos Estados Unidos no Mar do Japão em vários anos, então, em 17 de junho, ela voltou para casa. Seguindo para o norte, ela participou de exercícios ASW entre Attu e Kamchatka. Em 5 de julho, ela chegou a Long Beach. Em agosto, ela começou os preparativos para sua primeira grande reforma. Em 1 de setembro, ela mudou seu porto de origem para San Diego e, em 8 de setembro, ela entrou no Estaleiro Naval de Long Beach para uma revisão ampliada que a levou até 1972.

A revisão foi concluída em 6 de junho de 1972, e Schofield navegou para seu novo porto de origem, San Diego. Os próximos três meses foram gastos em treinamento de atualização e vários exercícios, incluindo dois lançamentos bem-sucedidos de seus mísseis TARTAR no Pacific Missile Range.

Vietnã

Em 9 de setembro, Schofield partiu de San Diego para sua terceira turnê com a 7ª Frota. Após breves paradas em Pearl Harbor, Midway Island, Guam e Subic Bay, P.I., o DEG juntou-se ao TU 77.0.1 no Golfo Tonkin em 8 de outubro. Ela recebeu sua primeira missão de bombardeio da implantação 20 dias depois e atirou a noite toda. Em 30 de outubro, ela partiu da área para Kaohsiung e um período de manutenção. Ela estava de volta à estação no Golfo de Tonkin de 9 de novembro a 8 de dezembro para outro período de linha. O DEG então visitou Hong Kong e Sasebo antes de retornar à linha de fogo no Dia de Ano Novo de 1973.

Schofield atuou como piquete até meados de janeiro, quando foi designada para fornecer apoio de fogo. Ela disparou missões diárias até o dia 26, quando partiu para Subic Bay. Ela voltou para Yankee Station em 13 de fevereiro e soube que, devido ao fim das hostilidades, seu desdobramento do WestPac seria reduzido em um mês. Em 15 de fevereiro, ela partiu para Yokosuka e San Diego, chegando ao seu porto de origem em 9 de março.

Durante um período de disponibilidade restrita entre abril e setembro, Schofield recebeu extensas instalações de helicópteros que lhe permitiram operar o helicóptero SH-2 LAMPS (Light Airborne Multi-Purpose System). Ela realizou testes de mar em outubro, exercícios de tiro no início de novembro e, no dia 23, partiu para o oeste do Pacífico.

Schofield participou de exercícios em Pearl Harbor e Midway Island antes de entrar em Subic Bay em 18 de dezembro. Quatro dias depois, ela partiu para Cingapura com ordens de continuar de lá para o Oceano Índico e conduzir operações de vigilância. Ela voltou para San Diego em 6 de junho de 1974.

Schofield foi desactivado em 8 de Setembro de 1988 e retirado do registo da Marinha em 25 de Janeiro de 1992. O navio foi naufragado como alvo em 2 de Novembro de 1999.


Cruisebook USS Schofield DEG-3 FFG-3

Todo o livro do cruzeiro de 1975 deve estar nas próximas postagens.

Eles foram espalhados para auxiliar no aparecimento de TODAS as imagens.

O link para as outras páginas que cobrem o livro de cruzeiros está próximo ao final da página à esquerda.

Eu deveria ter feito isso há muito tempo & # 8230 aqui estão os links para as entradas do blog que cobrem todo o livro do cruzeiro. Esta página cobre a primeira parte do livro do cruzeiro e os links abaixo levam à próxima seção, então você deve ser capaz de ler o livro facilmente, começando na capa e terminando na página final.

***** Clique na foto para uma visão ampliada *****

Encorajo TODOS os que desejam copiar e colar parte ou todo o livro do cruzeiro a fazê-lo, pois os sites podem perder dados, desaparecer, etc.

Preserve o livro do cruzeiro WesPac de 1975 para a posteridade. Quanto mais lugares for postado, maior será a probabilidade de sua sobrevivência.

Para ampliar as fotos clique sobre elas. Dependendo do seu navegador e / ou computador, etc. selecione & # 8220 abrir em uma nova janela & # 8221 ou use o botão & # 8220back & # 8221 do navegador ou o que funcionar para você.

Eu uso o navegador FireFox e depois de abrir cada imagem / página posso torná-la ainda maior para facilitar a visualização e leitura do texto quando um sinal & # 8220 + & # 8221 é meu ponteiro / cursor e clico novamente para maximizar minha visão. O que funcionar para você e sua configuração.

Vou verificar mais tarde para garantir que todas as páginas do livro do cruzeiro tenham chegado a este blog. Meu principal objetivo era apenas obter as páginas / fotos na Web & # 8230, apenas para garantir.

Oh, a foto do & # 8220cherry picker & # 8221 perto da área de descolamento do helicóptero & # 8230 & # 8220pontos extras & # 8221 para quem puder, na seção de comentários dessa entrada, pode explicar por que essa foto está lá. Eu me lembro porque, eu estava presente para o evento, no tombadilho,

Fique à vontade para deixar comentários, explicações, qualquer coisa que agregue às fotos.


Cohagan, Richard

I Richard T. Cohagan “Coke” nasceu em 6 de dezembro de 1928, em Columbus, Ohio. Atualmente tenho cabelos grisalhos e olhos azuis. Alistei-me na Marinha dos EUA em Columbus, Ohio, em 7 de fevereiro de 1946, e fui para o campo de treinamento em Camp Perry, Virgínia.

Eu era F1c. Meu primeiro dever foi a bordo do USS NORRIS (DD 856), Forward Engine Room de 1946-47. Fui chamado de volta à Marinha em 4 de outubro de 1950 e embarquei no USS BROWN (DD 546) como FN na Sala de Máquinas até 15 de janeiro de 1951.

Depois de concluir a Escola EM Classe ‘A” e a Escola de Operadores de Cinema em junho de 1955, em 12 de julho de 1955 fui a bordo do USS FRANK E. EVANS (DD 754), Divisão E com EM3 Stan Smythe no comando. Fiz uma mudança elétrica no sistema de ventilação da sala de eletrônicos ao lado do compartimento de Engenharia. Eu fiz um sistema de exaustão do sistema de sopro. Quando os ETs abriram a porta, o ar foi puxado através do compartimento para ajudar a resfriar um pouco o espaço. (Parecia funcionar ..) Deixei FRANK E. EVANS em 17 de agosto de 1956. Disseram-me que “meu sistema” ainda era assim em 2 de junho de 1969.

Depois de deixar Frank E., embarquei no USS BRADFORD (DD 546) de agosto de 1956 a fevereiro de 1957. Fiz EM2. A seguir foi USS ALAMAKEE (YTB 410) até 1959, quando fui para a Escola EM “B”. Agora eu era EM1. Era 16 de dezembro de 1959 e embarquei no USS PURDY DD 734). A próxima parada foi o dever de instrutor nas escolas EM “A” e EM “B” dos Great Lakes, de setembro de 1960 a outubro de 1963. Fiz EMC e embarquei no USS PLUCK (MSO 464) de novembro de 1963 a abril de 1967. Em maio de 1967, meu dever foi o FLEET TRAINING GROUP San Diego, Califórnia. Em março de 1968, fui promovido a EMCS e, em seguida, transferido para USS SCHOFIELD (DEG 3) de abril de 68 a janeiro de 1970, depois para USS ISLE ROYALE (AD 29), que foi desativado em janeiro de 1971. Meu último posto de trabalho foi COMCRUDESGRU, LONG BEACH, CALIFÓRNIA de 25 de janeiro de 1971 a 8 de julho de 1971, quando depois de 23 anos me aposentei, EMCS.


The Schofield Barracks Post Cemetery Enviado por Matthew Heaton [email protected]

O Schofield Barracks Post Cemetery cobrindo 6,3 acres, está localizado 011 Schofield Barracks entre Wahiawa e Kunia.


O CEMITÉRIO. O cemitério foi estabelecido pela primeira vez em 1912. Os primeiros enterros foram os trabalhadores que construíram a instalação, que foram vítimas de uma epidemia que varreu a ilha.

Hoje, o cemitério fornece cemitérios para militares da ativa, militares aposentados. e seus dependentes de boa fé. Isso proporciona à família enlutada um local de descanso final para seus entes queridos, que é perpetuamente cuidado sem custo.

Lápides para cemitérios são compradas e instaladas às custas do governo.
Honras especiais são organizadas para o Dia da Memória. Bandeiras americanas são colocadas em cada cemitério por escoteiros e escoteiras locais.

HORÁRIO DE VISITAS. O Schofield Barracks Cemetery está aberto aos visitantes todos os dias do ano, durante o dia.

HORAS DE ENTERRO. O Cemitério Schofield Barracks está aberto para os serviços funerários de segunda a sexta-feira, das 9h às 11h e das 12h às 14h. Os cofres não são fornecidos.

LOCAL DA GRAVE. A localização do túmulo serve para ajudá-lo a localizar o túmulo de seu ente querido. Um mapa do cemitério mostrando o local e a lista dos enterrados está localizado no pavilhão da entrada do cemitério.

GRAVE MARKER. Um marcador temporário é usado para marcar a sepultura após o enterro. Um marco permanente será fornecido pelo Governo. Todos os esforços são feitos para que a lápide seja entregue em até 120 dias após o enterro. Os marcadores são colocados assim que o tempo e os horários de trabalho permitirem.

ENTERRO DE UM CÔNJUGE SOBREVIVENTE. O cônjuge não veterano de um veterano falecido que se case novamente não é elegível para enterro no cemitério Post. Além disso, um cônjuge divorciado ou cujo casamento com o veterano foi armado não é elegível para o enterro.

MANUTENÇÃO DE SOLOS. Imediatamente após cada sepultamento, a sepultura é enchida, nivelada e semeada. Até que as condições de cultivo sejam favoráveis ​​e o gramado seja estabelecido, as áreas de sepultamento podem ter uma aparência abaixo do padrão porque o solo continua a afundar depois de um sepultamento, uma nova sepultura requer renovações repetidas. Depois que o túmulo se estabilizar, a aparência geral vai melhorar. O pessoal do cemitério pede sua compreensão. Assuntos que parecem necessitar de ação corretiva imediata devem ser relatados ao escritório do cemitério. NOTA: NÃO É AUTORIZADA A MANUTENÇÃO PESSOAL DE SEPULTURAS PELOS VISITANTES (CORTE DE SEPULTURAS, MARCADORES E MARCADORES, REGA COM SUA PRÓPRIA MANGUEIRA, MARCADORES DE PINTURA, ETC.). DEIXE AO PESSOAL DA CEMITÉRIO A RESPONSABILIDADE PELA MANUTENÇÃO DE FUNDOS.

BANDEIRAS. A bandeira dos Estados Unidos é hasteada no cemitério Post todos os dias durante o horário de funcionamento do cemitério. A bandeira é hasteada com metade do mastro durante os serviços de enterro e cerimônias de colocação de coroas. Todos os túmulos são decorados para o Memorial Day por escoteiros e escoteiros com pequenas bandeiras dos Estados Unidos.

BARRACAS SCHOFIELD PÓS-CEMITÉRIO REGULAMENTOS FLORAIS 1. Flores frescas, grinaldas e sprays em recipientes de metal (não de vidro) podem ser colocados nas sepulturas.
2. Não são permitidas plantações permanentes, estátuas, luzes de vigília, objetos de vidro de qualquer espécie e qualquer outro tipo de artigos comemorativos, inclusive brinquedos (rodinhas, balões, sinos de vento, peluches ou artigos semelhantes).
3. Plantas em vasos e flores artificiais serão permitidas em túmulos somente durante o período de cinco (5) dias antes a cinco (5) dias após o Domingo de Páscoa, Dia de Natal e "Hana Matsuri" (8 de abril). Também serão permitidos de 12 de julho a 15 de agosto, observando o "O-Bon". As árvores de natal, independentemente do tamanho, não são consideradas vasos de plantas e não serão permitidas.
4. Itens florais e outros tipos de decoração não serão fixados em marcadores de lápide.
5. A convenção religiosa de colocar frutas, bebidas (exceto bebidas alcoólicas) e artefatos religiosos em túmulos é permitida.
6. Entre em contato com o escritório do cemitério para obter informações sobre a instalação de um vaso de flores permanente. Apenas um contêiner por sepultura é permitido.

NOTA: Listados abaixo estão os fornecedores que vendem vasos de flores permanentes. Seus nomes são fornecidos como uma questão de assistência às pessoas interessadas. O Schofield Barracks Cemetery não endossa nem recomenda os vendedores ou seus produtos. Consulte um dos estabelecimentos listados abaixo se deseja adquirir um desses vasos.

Serviços funerários e cemitérios de Woolsey localizados em Kaneohe, Havaí. Esta empresa obteve o contrato para o manuseio de enterros, gerenciamento da manutenção da lápide, alinhamentos, urnas e vasos no cemitério Schofield Barracks Post. Eles gerenciam o vaso, a urna e as instalações memoriais da lápide e também oferecem uma linha competitiva de produtos de alta qualidade com preços acessíveis. Eles têm uma empresa irmã: Woolsey Mortuary Services, mas, como Woolsey Funeral and Cemetery Services, lidam com vasos e todos os outros serviços de cemitério. (Eles são uma pequena empresa familiar havaiana local que está nas ilhas desde 1957. Eles se orgulham de sua atenção aos detalhes, conhecimento e profissionalismo.)

Stonecraft
Cemitério de Oahu
1718 Kahai Street 2162 Nuuanu Avenue
Honolulu, HI 96819 Honolulu, HI 96817
Tel: (808) 847-3944 Tel: (808) 538-1538

O vaso permanente no solo deve consistir em uma bainha externa inserida no solo e um vaso separado que se encaixa na bainha. Deve ter um dispositivo de travamento positivo para evitar que o vaso suba quando a bainha se encher de água. Os proprietários de vasos de flores são aconselhados a limpar os detritos, permitindo que o vaso se encaixe corretamente na bainha, para evitar danos ao vaso. O vaso deve ser gravado com Plot, Row e Grave Number. O pessoal do cemitério instalará o recipiente do vaso sem nenhum custo. Esteja ciente de que o Schofield Barracks Post Cemetery não é responsável por manter, substituir ou proteger os vasos de flores permanentes.

Índice mantido por: Bob Jenkins
Gerente de Arquivos Havaí USGenWeb

Bob Jenkins, Gerente de Arquivos do Projeto Havaí USGenWeb


NEWSLETTER ATENDENDO À EX-TRIPULAÇÃO DO USS SCHOFIELD (DEG.

Leia a versão em texto

NEWSLETTER ATENDENDO À EX-TRIPULAÇÃO DE USS SCHOFIELD (DEG / FFG-3) THE DECKPLATEVolume 7 Edição 2 de agosto de 2009Pontos especiais de interesse COLUNA DO COORDENADOR • Ron Spagna mantém você Olá família Schofield Tudo ajuda. BTC velho e resistente! He is also This issue will be short!! In our last issue the one grateful old sailor and up-to-date on some of a pleasure to talk with and your fellow shipmates We have not had much “Welcome Mat” section was know. Has lots of support in his cover article. input for this quarter’s news jam packed. Lots of new from neighbors as well as letter, as I am sure people names, many who were not Ken Wilson and Sha Marie.• The Treasurer’s Report are busy with vacations, familiar to me. Great to see Per John he loves us and life, etc. We love hearing it as these are the younger wishes to express his is found on page two. from you and look forward guys and can carry this on thanks to all of the to more participation in our as we go along. Many Schofield family.• Welcome Mat is on next issue. Their will be thanks to Gunner Mark another after our Nashville Fletcher and his wife Carol Paul Roeper is also page three. You’ll find reunion in September. (group secretary). They doing OK although the seven new names for have spent countless phone process is a bit rough at the roster. After our last plea for hours contacting and times. Paul and I are plank dues participation the searching for Schofield owners who worked• What was the funniest response was very good. I shipmates. They also have together. Separated and would like to thank all who Mark Crozier working on this lost contact for 30 some thing you remember contributed for their as well. Sometimes good old odd years. Reunited as a from the Navy? See generosity. Our dues are fashioned voice works just direct result of Elliot what two of your ship- $20/year and go primarily fine. Clayton doing some phone mates have to say for the Deckplate work after the Reno about this, starting on publication. We are working Our shipmate John reunion. Turns out Paul page three. on reducing costs and this Winschel is home and doing lives up the road around 45 is a work in progress. Melhor. As always he minutes. Got together and• Don’t forget to sign up Some went over and above appreciates all the thoughts, have developed a nice with their contribution and prayers, phone calls, and for the September 10- again, thanks to all. well wishes. John is one (Continued on page 2) 13 reunion in Nash- ville. You’ll miss a great time if you don’t!

VOLUME 7 ISSUE 1 SCHOFIELD DECKPLATE PAGE 2friendship again. I wish Paul the TREASURER’S REPORTbest and look forward to him beingwith us at the 2010 reunion. SUBMITTED BY ROBERT CICHOWSKI, TREASURER Robert Cichowski wishes to give Treasurer’s Report December 2008up the Treasurer’s position and turnover the account at the Nashville Estimated money in account—$936.66reunion. I’m asking you all to thinkabout assuming the position. We’ll Dues collected 12/31/08turn it over at the reunion. Wouldask that whomever takes it is active Gordon Sebring $20.00 James Borowicz $20.00with our Schofield family. Requirescollecting, posting, and writing a few Money owed to Jack from the San Diego Reunion $51.00checks a year. We are thankful toRobert for his work with us and a Estimated Total Funds in the Association $925.66job well done. Dues collected 01/30/2009 We will be thinking about 2010already and will discuss it at our Lloyd Baker $20.00 David Ocker $20.00Nashville business meeting. Paul Roeper $100.00Hopefully we will get feedback from Kenneth Robinson $20.00everyone regardless of whetherthey are in Nashville or not. We Estimated Total Funds in the Association $1,105.66understand location is always aproblem due to the fact that we Dues Collected 03/22/2009have a huge country and our mates Michael Jones $20.00are spread out. We do try andspread out so as to get as many as Estimated Total Funds in the Association $1,125.66possible included. Please help uswith this and get your input to us. It Adjusted Association Funds +$8.00=$1,133.66is not a one person decision andyour help is appreciated. Deckplate Funding $508.80 I hope we see all of you at the Total Funds in the Association $624.86Nashville reunion. Of course thatis only a fantasy, but we’d like to Dues collected 05/06/2009see as many as possible. Always atreat to meet some new Schofield Thomas Dawdy $100.00 Charles Dickens $40.00family members, and great to see David Tufnell $50.00the ones we’ve seen already. I can’t Anthony Morettini $20.00 James Virmala $40.00emphasize enough that it does not William Zbaeren $40.00matter which generation we are Lee Witham $50.00from. We’ve all served on board andthat is our common bond. It is Gregory Yale $25.00expensive of course but my wifeFrani and I manage to get what we Total Funds in the Association $989.86need to make the trip. We feel it isworth every penny but really is Dues collected 06/09/2009priceless. Hope we See you in Richard Gray $50.00 Dale Hale $20.00September! (Nashville. ) Ron Spagna $50.00 David Maass $40.00RespectfullyRon Spagna Total Funds in the Association $1,149.86USS Schofield reunion coordinator Dues collected 06/24/2009 __________ Charles Kiser $40.00 Dorothy Gruber $20.00 Gaylord Larson $20.00 Dues collected 07/30/2009 Elliot Clayton $30.00 Total Funds in the Association $1,179.86Financial Statement: The cost ofthis issue is $379.43, and wasmailed to 343 members.

VOLUME 7 ISSUE 1 SCHOFIELD DECKPLATE PAGE 3 WELCOME MAT THE FUNNIEST THING THAT HAPPENED IN THE NAVY The following shipmates havebeen located since the last news- Bob Feldman, BT3: was around 1985.letter. Welcome aboard. We hope I was a BT between 1973-1976. I was coming off liberty from theto see you at the next reunion andthat you will take an active part in One of the funniest moments I can Philippines and was hungry. Ofthe association. We welcome: recall was when I a fireman. BTC course the galley was closed be- Grimes told me to tighten a compo- cause we were in port and it was Leonard Carter (1977-78) RM2 nent on our ACC system (automatic late at night. If my memory is cor- 909 W Clark St combustion controls). I grabbed my rect, it was just before midnight. handy screwdriver and commenced Anyway, I was hungry. I went to the Albert Lea, MN 56007 tightening the screws. All this was food preparation door of the galley 507-391-5046 done in front of Grimes. As I was and it was locked. It was always crawling off the boiler top, the tool locked in port. I knew that but [email protected] fell out of my hands and down to cussed anyway. I went down to the the lower level. fireroom, got a paint chipper and John Cooper went back to the galley. I worked (1968-70) BM3 1st Div Grimes told me to go down and and worked at the door jam until I retrieve it and put it away. I went was able to slide the paint chipper 12 Pleasentside Dr down below and tried to find it. I in and open it. "Sim!" I said to my- Wayland, NY 14572 could not see it, and I was not self. I then went in the galley and [email protected] about to crawl in the bilges, under got a whole can of ham, one loaf of the boiler (which had about 12” of bread, mayonnaise, and cheese. I Mark Crozier water in it) looking for it. I hung out locked the door and shut it. I looked 2718 River Wood Ln on the lower level with McDowell for at the lock and it was basically use- Burnsville, MN 55337 about five minutes, then returned to less. Opa. I stashed the food, [email protected] my evaporator station. We were went to berthing and put on my underway at this time. dungarees and went back to the Wayne Martin galley. I was going to take the food (1979-82) BT 2 B Div A few minutes later, a foul smell down to the fireroom for the mid- emanated in the fireroom. Grimes watch. We would feast like kings. PO Box 684 sent everybody on a search for the But before I left the galley, I wrote a Yucca Valley, CA 92286 smell. The lower levelman McDow- simple note. It said, “Snipes Rule!” I ell told Grimes he found it. Grimes taped it to the food preparation 760-674-6069 went down below and shortly door whose lock I destroyed. I got YELLED my name, “FELDMAN!” I to the fireroom and when the guys Kenneth Cooper ran down below and looked to saw what I had, they began to sing (1983-85) E-4 BT where he was pointing. Melting on a my praises. The next morning I was 17406 Bill Booty Rd steam drain line was my screw- in food serving line ordering eggs. Bogalusa, LA 70427 driver handle, dissolving into a yel- When I placed my order, the Galley low blob, then dropping off into the Watch Captain said, “Won’t be any 985-730-4605 bilges, leaving the metal driver on eggs for you Bon. you had mid- [email protected] the piping. rats.” Mid-rats were what was served under for the sailors stand- Eric Lengel Well, the jig was up at that point. ing mid-watches. “The galley was (1978-80) EN2 A Gang Grimes asked me why I lied. I then closed last night there weren’t any told him the truth—it was hot be- mid-rats,” I replied. Again I re- New Holland Rd neath that boiler, and I wasn’t about peated my egg order. The Watch Reading, PA 19540 to crawl under a steaming boiler for Captain then produced my note a screwdriver. and said, “This look familiar?” “How 484-824-3645 would I know?” Eu respondi. “You ru- [email protected] I was laughing at this and ined my door, Bon, and took the though Grimes tried to act mad, he ham I was going to serve for break- Stephen Nelson too was laughing at the situation. fast,” said MS2 Collier. “I want (1972-78) GMT2 3rd Div Trials of a 19 year old. Caught in eggs,” I said. “If you don’t get out of 1222 Freeman Ln #59 the act. line, I’ll report you to the Master-at- Arms (MAA) that you broke into the Pocatello, ID 83201 ___________ 208-232-0095 (Continued on page 4) Zach Bon: [email protected] I was stationed on Schofield __________ from 1981-1986. I was a BT2. Here is my story. and it’s true. I believe it


The American Cowboy Chronicles

Aboard the USS Hancock, as with other ships, we Marines were assigned to maintain law and order as the refugees arrived at our ship. We Marines met each chopper's landing with our M-14 rifles locked loaded -- and with fixed bayonets.

We were told that North Vietnamese and Viet Cong were trying to get aboard the U.S. Navy ships to wreak havoc and perform sabotage.

Wounded and hurt were taken to a sick-bay set up in one of the ready-rooms on the flight deck. There they would be tended to included deloused.

Marines searched men, women, children, and anything they brought aboard. Their Arms were confiscated and thrown overboard. But of course, that wasn't the only thing thrown overboard. When it became apparent that the flight deck was too crowded with Hueys, they too were soon pushed over-board.

Embassy guard Marine Master Sgt. Juan Valdez was the last American to leave Vietnam. The world's largest helicopter airlift was history. A few hours later, North Vietnamese tanks smashed through the gates of the Presidential Palace. Saigon would be renamed Ho Chi Minh City. After 20 years of involvement and 58,220 U.S. military deaths, America was finally done with Vietnam.

In accordance with procedures for deceased Americans in Vietnam, their bodies were transferred to the Seventh Day Adventist Hospital, nearby Tan Son Nhut airport. In telephone calls to the hospital on the afternoon of April 29th, the few remaining staff advised that the bodies had been evacuated when their bodies were left behind. Through diplomatic channels, the U.S. government secured the return of their bodies the following year.

Lance Corporal Darwin L Judge was buried with full military honors in March 1976 in Marshalltown, Iowa. There was a flag-draped coffin, a Marine Honor Guard, and a rifle firing salute. The flag that covered his coffin was folded and presented to his parents. His funeral was so ignored that the mainstream news media did not attend the event. The lone exception being the Daily Iowan (Iowa City, Iowa).

It is said that because of ignorance of his military funeral in March 1976, Lance Corporal Judge was given a second Marine burial with honors 25 years later. Cpl McMahon and LCpl Judge names will be tied together forever as the last two Marines killing in action in Vietnam.

By the beginning of May, the USS Hancock had off-loaded BLT 2/4 and then arrived in Subic Bay, Phillippines, to off-load the refugees it carried.

Lastly, the "Mayaguez incident" took place between the Kingdom of Cambodia and the United States from May 12th to the 15th, 1975, less than a month after the Khmer Rouge took control of the capital Phnom Penh. U.S. Marine contingent aboard the USS Hancock did not arrive until May 16th. By then, Washington had halted the operation.

The taking of the merchant ship S.S. Mayaquez and its American crew by Khmer Rouge pirates was the cause of the subsequent battle at Koh Tang Island that followed. The battle of Koh Tang Island is the last official battle of the Vietnam War. Of that last battle, 15 U.S. Marines were killed in action, 50 wounded, another 23 Marines were killed en-route in a helicopter. Some say the helicopter was shot out of the sky. Some say it was engine failure.

But as sad as it is to say, 3 Marines were left behind and executed. The 3 Marines left behind are listed as missing in action but presumed dead. The names of the Marines killed, and those of the three Marines who were left behind on the island of Koh Tang after the battle and were subsequently executed by the Khmer Rouge pirates are the last names on the Vietnam Veterans Memorial.

May God Bless them and the other more than 58,000 American troops who died in that war.


Wheeler Army Air station base housing, Wahiawa (Central Oahu)

Wheeler is a former Air Force base that was handed over to the Army to create an Air Station. They have 24 Attack (Apache) AH 64's at Wheeler and other helicopters that conduct flights around Wahiawa.

US Army Garrison Hawaii (USAG-Hawaii) is the Department of Defense executive agent for Wheeler base housing on Oahu, and is located at Building 950, 215 Duck Road, Schofield Barracks, Wahiawa, HI.


Assista o vídeo: Det heter sport - En film om kvinner i idretten (Pode 2022).


Comentários:

  1. Schmuel

    Exatamente o que você precisa. Juntos, podemos chegar à resposta certa. Tenho certeza.

  2. Lundie

    Este é o escândalo!

  3. Tagor

    Sabemos a medida, mas você vai beber? Feito, Mestre! - O que está pronto? - QUEBRADO !!!

  4. Mischa

    Esta é uma informação engraçada.

  5. Antaeus

    Claro, você nunca pode ter certeza.



Escreve uma mensagem